Diálise Peritoneal

Assim como a hemodiálise, a diálise peritoneal tem a mesma finalidade de tirar o excesso de água e de substâncias tóxicas que deveriam ser eliminadas por meio da urina do paciente, que por ter insuficiência renal não consegue naturalmente.

A diferença principal desse processo é que ao invés dele ser feito em uma unidade de hemodiálise e com ajuda da equipe de enfermagem a responsabilidade é atribuída ao paciente, família ou ao cuidador.

Esta tarefa exige cuidados específicos, mas é uma opção de tratamento, que pode ser muito bem sucedida, oferecendo qualidade de vida ao paciente que não precisa se locomover até a unidade de hemodiálise.

Quando o paciente decide por este tratamento, conforme indicação médica, passa por um procedimento cirúrgico de implantação do cateter na barriga (peritônio) que é encaixado posteriormente nas bolsas de filtragem.

Primeiro acontece à infusão do líquido (glicose) e depois ocorre a drenagem desse material que filtrou o sangue.

Untitled-1
logo

Existem dois métodos de diálise peritoneal

O método manual chamado CAPD (Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua) que utiliza 4 trocas de bolsa por dia, realizada pelo próprio paciente ou pelo cuidador. E a DPA (Diálise Peritoneal Automatizada), na qual o procedimento acontece com o auxílio de uma pequena máquina, que dialisa aos poucos. Este pode ser feito inclusive quando o paciente deita para dormir.

A Pró-Rim conta com uma equipe preparada

para o atendimento dos mais de 80 pacientes que optaram pela diálise em casa. As consultas para o acompanhamento são realizadas mensalmente ou quando necessário.