Delicélia reescreveu a sua história na Fundação Pró-Rim